Integrantes da FAMA irão compor corpo coreógrafo da escola de samba paulista Império de Casa Verde

Participantes do Corpo Coreográfico da Fanfarra Municipal de Atibaia - FAMA integrarão o desfile deste ano da Escola de Samba Império de Casa Verde, no Grupo Especial de São Paulo.

A distância de cerca de 69km que separa a cidade de Atibaia da capital paulista não desanimou os participantes do Corpo Coreográfico da Fanfarra Municipal de Atibaia – FAMA de integrar o desfile deste ano da Escola de Samba Império de Casa Verde, no Grupo Especial de São Paulo.

Os jovens atibaienses compareceram entusiasmados em diversos ensaios da agremiação paulistana, além dos três ensaios técnicos realizados no Sambódromo do Anhembi, desde o início de janeiro. O objetivo foi proporcionar o primeiro contato com a passarela do samba e demarcar os passos que serão coreografados durante a apresentação no dia do desfile oficial.

Ensaio da FAMA com a Império de Casa Verde (Foto: G.R.C.E.S. Império de Casa Verde)

Denominada ALA IMPÉRIO DA FAMA, o grupo irá representar o momento da “Queda da Bastilha”, que marca historicamente a Revolução Francesa, contida no contexto do Enredo desenvolvido pelo carnavalesco Jorge Freitas.

“Poder inserir esse talentoso grupo do corpo coreográfico da Fanfarra Municipal de Atibaia foi uma honra e mais um aprendizado na minha carreira, tanto pela disciplina quanto pela disposição incansável dos jovens durante nossos ensaios”, destacou a diretora artística Taiana Freitas. Com vasta experiência como coreógrafa de Comissão de Frente de renomadas agremiações carnavalescas, Taiana acrescentou ainda que surpreendeu-se pela facilidade de entrosamento do grupo perante os demais componentes da Império de Casa Verde.

Ensaio da FAMA com a Império de Casa Verde (Foto: G.R.C.E.S. Império de Casa Verde)

A Império de Casa Verde será a segunda agremiação a desfilar no sambódromo do Anhembi no sábado (10), por volta de 23h35, em busca do quarto título no grupo especial. A aposta deste ano é no enredo, que fará uma analogia entre a atual situação política desconfortável enfrentada no Brasil, e o musical “Les Miserables”, baseado na obra do autor francês Vitor Hugo.

SOBRE A IMPÉRIO

O Grêmio Recreativo Cultural Social Escola de Samba Império de Casa Verde é uma escola de samba da cidade de São Paulo, foi fundada em 1994. Sendo uma das escolas de samba de mais veloz ascensão no Carnaval paulistano, conseguiu seu primeiro título no Grupo Especial com apenas onze anos de fundação e três no grupo principal. Atualmente, soma três títulos no grupo especial – 2005, 2006 e 2016. A última conquista foi com o Enredo “O Império dos Mistérios”, sob o comando do Carnavalesco Jorge Freitas. A escola sempre se destaca pela construção de enredos criativos que transmitem mensagens culturais e sociais atuais, a exemplo de 2017 “Paz: O Império da Nova Era”, entre outros. O fino acabamento de suas fantasias e magnitude de suas alegorias são o marco da escola da Casa Verde. Atualmente, possui o respeito e a credibilidade de ser considerada uma das melhores baterias de Escola de Samba de São Paulo, sob o comando de Mestre Robson (Zoinho).

Império de Casa Verde (Foto: G.R.C.E.S. Império de Casa Verde)

A agremiação desenvolve um trabalho pós carnaval preocupada com o meio ambiente, possuindo um sistema de reciclagem de cerca de 90% de todo material utilizado. A responsabilidade social é mais um ponto que vem crescendo na escola com projetos que estão sendo elaborados e colocados em prática com muita eficiência.

Introdução do Enredo Carnaval 2018

“O POVO: A NOBREZA REAL”

Ambientado no fictício país do Reino das regalias, o enredo “O Povo: a Nobreza Real”, bebe na fonte de um clássico universal: o livro: Os Miseráveis, do francês Victor Hugo. Baseado na obra francesa, o enredo imperiano fará alusões àquela sociedade, envolta em revoluções e ideais. Ao retratar as mazelas de uma sociedade de regalias e pobreza, a Império leva à avenida uma crítica à “desconfortável” situação atual brasileira, na política e na sociedade, onde por sua vez repete-se após séculos uma situação similar onde nossos governantes enriquecem-se de forma ilícita, aglomerando vasto patrimônio às custas do dinheiro do povo.

Nessa conjunção de fatores, o povo enfrenta suas dificuldades: a miséria, de fome e de moral; a falta de recursos; o buraco na rua; o ônibus que demora a chegar; o trânsito; o atendimento público problemático; o lugar onde a esperança sucumbiu, repleto de gananciosos vestindo terno e gravata; a liberdade aprisionada; enfim: o povo, às vezes sucumbe, às vezes reluta ou simplesmente luta!

Banquetes luxuosos em meio à miséria do povo serão retratados no desfile, marcado por personagens como reis, rainhas, padres e, claro, os miseráveis. Em meio à ganância e ao poder, começam a florescer os ideais revolucionários que levaram à queda da Bastilha – entenda “Bastilha” não somente como a prisão francesa, mas como nossos desafios diários: fome, miséria, caos social e político.

Fonte: Assessoria de Imprensa – G.R.C.E.S. Império de Casa Verde