Tratamentos alternativos garantem qualidade de vida aos pets idosos

Expectativa de vida de um cachorro depende do seu tamanho e de sua raça, mas existem tratamentos como ozonioterapia e até acupuntura que podem prolongar a vida dos animais e garantir mais qualidade de vida aos pets.

A crença popular diz que a cada ano a idade do cachorro equivale a sete anos humanos, mas na prática a conta não é assim tão exata.

Um humano é considerado idoso quando tem 75% da vida ativa. Segundo o médico veterinário Stelio Pacca, a mesma proporção vale para os animais, porém enquanto os humanos atingem esse nível próximo dos 60 anos, os animais chegam a essa faixa ainda nos 8 anos de vida.

(Imagem Ilustrativa de Reba Spike por Unsplash)

“Existe sempre a ideia de que o vira-lata vive mais, mas isso não tem comprovação científica. Quanto menores os animais, mais tempo eles vivem, mas por outro lado, proporcionalmente eles ficam velhos mais cedo”, explica o veterinário e professor da Unesp.

Ficar velho mais cedo, significa que o animal terá mais tempo de vida como idoso, e assim como nos humanos, a medicina veterinária estuda alternativas para contornar as adversidades desta fase.

Bem-estar animal

O Tiquinho está na vida da dona Catarina Sachita há 17 anos. A tutora conta que com apenas dois meses o pinscher passou por alguns problemas de saúde, e que com o avanço da idade, os cuidados aumentaram.

“Ele tinha 2 meses e pesava 600 gramas quando eu peguei ele. Logo ele já ficou doente, teve doença do carrapato e pneumonia. Eu achei que ele não fosse sobreviver, mas ele está aqui.”

Toda semana a dona Catarina leva o Tiquinho a uma clínica veterinária especializada em tratamentos diferenciados para os pets. O cãozinho é submetido por exemplo a sessões de acupuntura, para aliviar dores nas hérnias de disco que já chegaram até a paralisar os movimentos do Tiquinho.

“A acupuntura é uma técnica milenar que consiste na inserção de agulhas em partes específicas do corpo para prevenir e tratar doenças. No caso do Tiquinho, que é um paciente idoso, a acupuntura ajuda ele com as dores pelas hérnias de disco”, explica Maria Luísa de Capua, veterinária responsável pelo tratamento do Tiquinho.

Durante os 20 minutos que duram as sessões de acupuntura o cão ainda é submetido a outro tratamento: a laserterapia, indicado para alguns pontos de dermatite que se desenvolveram em sua pele pela idade avançada.

A Luna também é paciente da clínica, que fica em Botucatu (SP). Apesar de muito ativa, a cadela já tem 11 anos e vem enfrentando alguns desafios e passa por tratamento para melhorar sua qualidade de vida.

Desde os 2 anos, Luna foi diagnosticada com doença renal crônica e artrose nas articulações. Toda semana a border collie é submetida a sessões de ozonioterapia, que tem efeito anti-inflamatório e ajuda nas dores que as condições podem causar.

Para o alívio das dores, Luna também passa por sessões de Moxaterapia, que consiste na queima de ervas medicinais próximas à pele do animal.

Viviane Chirinea é tutora da Luna e explica que além das sessões semanais, outros cuidados são tomados com a saúde da cadela.

“Nós oferecemos desde a alimentação com alimentos naturais e balanceados e agora com outros tratamentos, a acupuntura, ozonioterapia, lazer, entre outras” conta Viviane.

Fonte: G1.globo.com