Após mortes por febre amarela, Atibaia alerta visitantes de parques a tomarem vacina

Indicação é para os parques da Pedra Grande, Gruta Funda e Edmundo Zanoni. Os locais têm trilhas, áreas com cachoeiras e trechos de vegetação.

A Prefeitura de Atibaia está alertando quem visita parques da cidade a tomar a vacina contra a febre amarela. Por causa de serem área de mata, os locais são considerados de risco e os cartazes pedem que os visitantes tomem a vacina dez dias antes da visita às unidades.

O alerta ao visitante está sendo feito nos parques Edmundo Zanon, da Pedra Grande e Gruta Funda. Os parques têm trilhas, áreas com cachoeiras e trechos extensos de vegetação.

Parques em Atibaia alertam para vacinação da febre amarela (Foto: Reprodução/TV Vanguarda)

A cidade tem dois casos de morte pela doença confirmados e ainda investiga um terceiro caso. O primeiro caso foi de um jovem de 22 anos que contraiu a doença depois de uma trilha no bairro do Portão. O segundo é de um idoso de 89 anos também morador do Portão.

O terceiro caso que ainda está em análise é de um homem de 38 anos que morava em Atibaia e apresentou sintomas da doença. Ele foi encaminhado para o hospital da Unicamp em Campinas, mas não resistiu e morreu. Foram encaminhadas amostras para o Instituto Adolfo Lutz e a prefeitura ainda aguarda o resultado do exame.

O boletim da Vigilância Epidemiológica estadual, divulgado na segunda-feira (22), aponta um balanço diferente. Segundo o Estado, a cidade tem oito mortes confirmadas por febre amarela. O número seria diferente do da administração porque contabiliza pacientes que pegaram a doença ao passarem pela cidade, mas que foram hospitalizados e morreram em outra cidade.

A prefeitura informou que dois destes seis óbitos adicionais são de pacientes que morreram em um hospital de Atibaia, mas eram de Mairiporã (SP). Além dos óbitos, a cidade informou que tem 22 pacientes sob suspeita internados.

Vacina

A cidade faz há duas semanas mutirões para a imunização contra a doença. Segundo a secretaria de saúde, foram 140 mil doses aplicadas, sendo 37 mil apenas em 2018. O número é maior que o de habitantes, 138 mil pessoas.

Segundo a secretaria de saúde, a vacinação segue na cidade, com ações casa a casa nos bairros rurais, de maior risco de contaminação. Além disso, os moradores podem procurar pela vacina nas unidades de saúde dos bairros Cerejeiras e Centro. Serão distribuídas todos os dias 200 senhas.

Fonte: G1.globo.com